A Nova Onda do Surf

Anúncios

Marilyn Monroe – Pertencer ao Mundo e Não Pertencer a Nada Nem a Ninguém

Marilyn Monroe

I knew I belonged to the public and to the world, not because I was talented or even beautiful, but because I had never belonged to anything or anyone else.

Poema do livro A Matéria Humana (O Homem é Feito do Trabalho de que são Tecidos os Sonhos)

Não sou poeta, mas há uns anos atrás escrevi um livro de poemas, que publiquei, e este, em especial, não me parece ter ficado muito mal.

LXIX
o homem é feito do trabalho de que são tecidos os sonhos
a terra é feita dos braços pensados para erguer as palavras
o homem pariu utopias nos lugares desfeitos pela morte
a terra desceu nos desenhos limpos arrancados ao medo
o homem amou o solo com o esquadro no compasso certo
a terra ergueu-se em aviões deitando bombas sobre pombas
O homem penetrou com sua carne na carne pura dos anjos
matéria envergonhada do desejo sublime da voz
eles mataram quem os lembrou da pura presença dos dedos
Vieram artistas criar do mal o belo para bens privados
cúpulas de catedrais a simular no inferno o céu dos servos
chaminés de fábricas soprar vidas movidas a máquinas
circuitos integrados nos cérebros falíveis dos andróides
e a grande mão que nos arrancou à terra vê os pensamentos
que forma a fórmula exacta e erra sempre a solução dos sonhos
O homem feito do trabalho sonhado mudado em pesadelos
uma altiva mão que nos arde nos caminhos que não sabemos
Raízes rebentando pirotécnicas de doidos estorninhos
e os frutos do trabalho que nascem das mãos dadas às outras
a habitação dos homens por dentro dos dedos arquitectos
o homem é feito do trabalho de que são tecidos os sonhos
pedra sobre pedra constrói-se além da sorte a cidade certa