Tony Blair Reconhece Alguma Responsabilidade pelo Aparecimento do ISIS

 

O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair reiterou hoje desculpas parciais pela guerra no Iraque, reconhecendo alguma responsabilidade pelo aparecimento do autodenominado Estado Islâmico (EI).

Lusa

MUNDO REINO UNIDOHÁ 33 MINSPOR LUSA

“Posso pedir desculpas pelo facto das informações fornecidas pelos serviços secretos serem falsas”, disse o antigo primeiro-ministro trabalhistas Tony Blair ao canal de televisão CNN.

Blair pede desculpas pelo seu papel na Guerra do Iraque:

O ex-primeiro-ministro britânico, Tony Blair, reconheceu ter tido alguma responsabilidade pelo aparecimento do auto-denominado Estado Islâmico (EI).
Blair pede desculpas pelo seu papel na Guerra do Iraque
“Posso pedir desculpas pelo facto das informações fornecidas pelos serviços secretos serem falsas”, disse o antigo primeiro-ministro trabalhista Tony Blair numa entrevista ao canal de televisão CNN, que será transmitida esta noite.
“Também peço desculpa pelos erros no planeamento e, certamente, pelo nosso erro em perceber o que é que poderia acontecer depois de o regime ser retirado”, disse ainda.
No entanto, o ex-primeiro-ministro britânico recusou pedir desculpa pela queda de Saddam Hussein: “Mesmo hoje em 2015, julgo que é melhor ele não estar lá”.
Questionado sobre se a invasão ao Iraque foi um dos factores principais que levaram ao aparecimento do EI, admitiu que “há elementos de verdade nessa questão”.
“Não é possível dizer que os que derrubaram Saddam em 2003 não têm qualquer responsabilidade na situação de 2015”, reconheceu, acrescentando porém que a situação está relacionada também com a Primavera Árabe e que o EI se desenvolveu a partir da Síria.
*
No entanto, argumentou ser difícil sentir necessidade de se desculpar pela queda de Saddam Hussein: “Mesmo hoje em 2015, julgo que é melhor ele não estar lá”.
 
“Peço desculpa por alguns erros na planificação e na compreensão do que se passou depois do regime ter caído”, afirmou, reconhecendo “elementos de verdade” na ideia de que a invasão do Iraque em 2003 é a principal causa do surgimento do EI.
Anúncios