Cegueira Ideológica Epidémica e a Ucrânia


Numa das actividades de ensino para adultos (antigas Novas Oportunidades, actual CQEP, ou a maior vigarice da história do ensino, trazida para cá pelo primeiro ministro Sócrates) resolvi fugir um pouco ao sistema e meter pelo meio a possibilidade de os alunos compararem a Alegoria da Caverna de Platão e o Citizen Kane de Orson Welles com as historietas jornalísticas sobre a Ucrânia, a tragédia do CO2 e o Estado Islâmico. Uma pérola resultante do esforço mental de um aluno em repetir o que lhe parece ser a verdade divinamente descida à terra foi a que se reproduz a seguir:

“É verdade que à escala mundial, muitas pessoas ainda vivem numa realidade de ignorância, com falta de acesso á informação, pessoas que não tiveram direito à educação enquanto crianças, desse modo, facilmente manipuláveis e aí sim, podemos com toda a certeza dizer que se vive na caverna da Alegoria de Platão. Vou falar sobre o Partido NAZI na Ucrânia, que conseguiu votos para entrar no Parlamento Ucraniano através da manipulação e da forte propaganda. Se na educação, das primeiras fases da vida de um ser humano, quando se formam personalidades e ideologias, as crianças são formatadas para acreditarem naquela realidade, é normal que assim se consigam fazer perdurar estes pensamentos chauvinistas e fascistas, até porque na Ucrânia os avanços tecnológicos não estão a par dos outros países desenvolvidos e acabam por não ter tanto acesso à informação, sendo assim fácil a manipulação daquelas pessoas. Cabe neste caso, à União Europeia consciencializar as pessoas na Ucrânia tentando mostrar-lhes a verdadeira realidade, porque se esta propaganda continuar durante mais anos acabará por se tornar mais complicado demover grandes massas populacionais”. 


Acabei por lhe dar esta resposta:

[E se eu lhe disser que quem contribuiu para pôr no nazi-fascismo no poder (embora agora este já esteja em ruptura com o governo, acusando-o de anti-patriotismo e de controlo oligárquico do Estado e da economia) foi uma combinação da luta contra o controlo oligárquico da sociedade, nostalgia, sobretudo no ocidente ucraniano, do nazi-fascismo e uma campanha mediática, com conspiração subversiva no terreno, por parte da UE, do governo dos EUA e da CIA, manipulando a população, nomeadamente através da internet e de OGNs, contra um governo democraticamente eleito, apenas para opor a Ucrânia  à Rússia, política e economicamente, com a qual quase sempre se confundiu ao longo da História, levando com isso ao colapso económico da Ucrânia, à violência contra os russos (40% da população) e, em consequência, a movimentos separatistas que já conduziram a muitos milhares de mortos? A UE não lhes mostra a verdadeira realidade mas uma mentira. A Alemanha sempre ambicionou a Ucrânia: agora tenta controlá-la política e economicamente. Com isso, alia-se aos EUA, que vai aproximando as suas forças militares das fronteiras da Rússia, por uma questão geoestratégica, política e económica, e para alimentar a sua máquina de guerra, o seu complexo militar-industrial. E será que cabe a uma entidade estrangeira educar e ensinar um povo como se este não passasse de uma criança dependente e ingénua, como também se a sua liberdade tivesse que ser uma dádiva de uma entidade superior? Seremos nós os civilizados, ainda que esclavagistas, e os outros os bárbaros, por serem crianças?]
Anúncios