Alemanha (Germany, Deutschland) 7 – Brasil 1 (em Futebol, Claro)



Sim, há política em tudo, dizem-me lamentando a derrota desportiva dos “nossos irmãos” (expressão que não subscrevo, por motivos que deveis compreender), mas é importante ter a noção de que nem tudo é política. Um pastel-de-nata é política? Um pôr-do-Sol é política, uma noite de amor é política? 
Por outro lado, sempre me irritou a paixão irracional, excessiva e doentia dos brasileiros pelo futebol. Não é que serem derrotados os faça ver o mundo de maneira mais lúcida, e mais política. 
Mas, além de a Alemanha ser a minha segunda pátria afectiva e a minha principal pátria cultural, sempre gostei do futebol elegante, simples, eficaz, com recorte técnico (não é só fintar) individual, muito semelhante à Holanda e à Argentina nos seus melhores momentos. Junto com o Brasil e com a Itália do passado, estas sempre foram as melhores selecções. 
Parabéns Alemanha, que não tens culpa de que os portugueses, e não só, sejam parvos e ressentidos (há coisas interessantes de Nietzsche, um alemão, sobre isto), a mendigar à Europa (aos ricos da Europa) em vez de orgulhosos e independentes, mas não sós.
Anúncios