Svoboda e a Ucrânia – Os Espectros do Passado e as Sereias do Capitalismo


Agora incendeiam pneus e já não contam mais do que mil e quinhentos insurrectos na Praça da Independência que acampam, entrincheiram-se e ocupam Ministérios, embora sejam muitos mais os que anseiam pela entrada numa União Europeia que afaste a Ucrânia da colaboração económica com a Rússia, na qual esta nasceu. À Alemanha, em especial, interessar-lhe-ia um novo mercado, facilidades energéticas e mão-de-obra qualificada barata. Aos Estados Unidos importa-lhe enfraquecer a Rússia e impedir que a Ucrânia possa robustecer com a sua presença uma nova comunidade económica e uma nova organização financeira concorrente com o dólar. E muitos ucranianos, embora não a maioria, não suportam a Rússia e, à mistura com a legítima defesa da sua cultura e independência, fazem renascer ameaças  da ideologia nazi.

 

Instrumentalizados pelo partido Svoboda ou Liberdade (Pró-NAZI), e por outros partidos de direita, populares derrubam semanas antes uma estátua de Lenine durante uma manifestação pró-União Europeia.

 

“No protesto de domingo, houve uma forte participação de elementos do partido nacionalista Svoboda (Liberdade), de Oleg Tiahnibok, que terão sido quem derrubou a estátua de Lenine, segundo a agência francesa AFP. Viam-se bastantes homens com a cara tapada, vestidos de escuro com braçadeiras vermelhas com o tridente do brasão da Ucrânia, diz o site do Kyiv Post.


Foram dois destes homens mascarados que ataram uma corda ao pescoço da estátua de 3,5 metros e a deitaram abaixo, dizendo, “cai, porco comunista!”, relata a AFP.“Ianukovich, és a seguir”, gritou alguém na multidão, ouvido pela agência Reuters. Uma jovem pôs depois uma bandeira da UE no pedestal onde antes estava a estátua. Líderes das manifestações recusaram qualquer envolvimento no derrube da estátua.” (Publico.pt 8-12-2013)

 

 

 

 

 

 

 
Campanha Anti-Rússia

 

 

 

 

 
Anúncios