Recordando o Fecho do Rádio Clube Português em 2010 – o Sucedâneo Inteligente da Censura


Lamento nunca mais ouvir as inteligentes e vivas entrevistas de Aurélio Gomes e de outros grandes profissionais da mais bem concebida rádio portuguesa actual. Não era alinhada com o PS, pelo menos não mais do que o é a TSF, esta sim uma espécie de porta-voz oficiosa do governo. O espectro político era vasto dentro dos limites do politicamente “correcto”. Podia dizer-se que era a puxar para o intelectual? Quem o afirma parece não gostar da inteligência e da cultura séria, nem sequer pontuada com o humor subtil dos notáveis jornalistas do RCP . Portugal já (não ainda mas já) não está preparado para uma rádio que não sirva notícias como tremoços com cerveja, à maneira da televisão, para uma rádio que as comente convidando conhecedores competentes de diversas áreas económicas e políticas. 
 
 
Aliás, o Rádio Clube Português intercalava temas mais sérios com assuntos de jet-set, pelo que só pessoas de muito baixo nível cultural ou de má-fé e de inveja a podem classificar de pretensiosa. 
Já agora, não foi o PS mas o PCP que na Assembleia da República apelou à salvação desta magnífica rádio.
Anúncios