A Propósito da Petição em Defesa do Cão que Matou a Criança – Notícia Já com uns Meses mas Ainda (infelizmente) Actual

bebe-de-8-meses-morre-apos-ser-mordida-por-pitbull-745x483

Colocar o ser humano ao nível dos animais e os animais ao nível do ser humano, se não é o mesmo que a ideologia nazi, não deixa de se aproximar dela inadvertidamente. O Hitler gostava mais do seu cão do que dos homens. Há seres humanos mais perigosos do que os animais? Há: aqueles que gostam mais de animais do que do ser humano. 

O ser humano é o único ser ético e universal, não se define pela raça e pelo instinto, como os animais; a vida dos animais confunde-se com a sua subsistência biológica. 
O facto de o homem andar a estragar o planeta e a matar-se entre si não pode ser pretexto para o colocar ao nível e até abaixo dos animais. O homem é o único ser que não segue instintivamente as leis da Natureza. A sua consciência racional permite-lhe conhecer as leis da Natureza e do seu próprio comportamento, permite-lhe ter noção do outro e de si mesmo como de uma personalidade que não se reduz à biologia. O desenvolvimento da consciência racional leva-o a identificar-se com o outro como com um mundo vivo de cultura criativa que pode inclusive mudar o mundo e não estar condicionado por ele, ao contrário dos animais. O homem é o único ser que cria a sua própria realidade e que, por isso, se cria a si próprio. 
Essa capacidade de criação, de transformação, este potencial de consciência de si, dos outros e de desenvolvimento de uma personalidade que constitui uma síntese superior aos reflexos, aos impulsos, aos instintos e ao condicionamento exterior, coloca-o infinitamente acima dos animais. 
O Zico deve ser respeitado como ser vivo, mas é preciso saber que os animais não têm direitos: é o homem que, devido à sua humanidade, confere direitos aos animais. O direito é uma noção e uma criação humana. Os animais apenas existem, de forma natural. Não podem revindicar direitos entre si. Nada está acima do ser humano: nem os animais, nem o Estado, nem as corporações, nem as agências financeiras.
Querem nivelar o homem pelo animal ou o animal pelo homem? No primeiro caso, reduziríamos o homem a um organismo biológico, ignoraríamos que é um sujeito ético e racional e poderíamos, sem escrúpulos de consciência, manipulá-lo à vontade. Seria o homem dos reflexos condicionados ou do condicionamento operante, tão de agrado para o economicismo e para o imperialismo. No segundo caso, assumiríamos um retrocesso cultural para o nível do animismo pré-histórico. Nos dois casos, seria o triunfo dos porcos. Mas com estilo, tele-discos moda, informação à velocidade da luz e 3 D. Tudo cheio de luzes, de músicas e de fantasia. Já não estamos longe. 

Só basta terminar, a par do fim do sujeito humano, com as relações e sentimentos de pertença e com o conhecimento objectivo do mundo social, condicionando as pessoas através da propaganda do relativismo cultural radical e do desenraizamento. 
Então, o grande capital internacional, industrial e financeiro ocidental, livre das ideias de sujeito, de pátria, da consciência histórica, das diferenças culturais reais, baixando os “custos do trabalho”, fazendo desaparecer as nações e as culturas, individualizando ao extremo os homens, separando os indivíduos uns dos outros através do egoísmo e do nomadismo cultural sem raízes e referências, poderá de novo elevar a taxa de lucro e sair da depressão para encher as grandes corporações e os agiotas e competir com a China. 

Há quem goste. Que lhe faça bom proveito.
Como os comentários à noticia publicados na “net” são, pois, do domínio público, só vejo bem apresentar deles alguns exemplos extraídos de O Público.pt enquanto representantes de casos de privação da razão e de empobrecimento da consciência moral na nossa sociedade. Vamos, pois, a eles:

Anónimo
Ainda dizem que somos um pais de católicos. Onde esta o amor, os valores cristãos que defendem a vida, o respeito pelas diferenças, dar a 2º face? Ser imparcial, não fazer a guerra. Onde está o respeito pela vida? Ou será que a vida é um exclusivo do homem? Então porque esta o planeta cheio de animais, quem determinou que assim fosse? Se fosse o homem, até se comiam uns aos outros, como alias já o provaram. o homem já fez mais mortes no mundo que qualquer animal. Matam-se por um hectar de terra, por uma vingançazinha, entram em escolas matam crianças, e o que é que acontece? sao mortos? O homem, o ser dito inteligente goza nas touradas, gozam com o sofrimento dos animais e no passado gozavam com o sofrimento deles proprios nas arenas. Veem um acidente na estrada e fogem, nem param, só se for para saber quantos morreram. IMBECIS
Anónimo
É completamente medieval, barbaro e uma vergonha para a civilização condenar um animal à morte… O animal não tem consciencia do mal, apenas vive a sua natureza… Se é perigoso deve ser internado num canil e lá acabar, com dignidade os seus dias… Somos Homens ou somos animais???
convido-vos a vir a minha casa fazer uma experiência e puxar a cauda ao meu cão, tenho a certeza que ficavam marcados! e não é dessa raça! O Cão é aquilo que nós fazemos dele é o espelho da nossa alma, enquanto não respeitarmos ao animais, nunca vai existir respeito entre a humanidade, enquanto fizermos comparações nunca iremos seguir a nossa vida como queremos, a vida de um animal tem o mesmo valor que a nossa, o meu filho com 3 anos até alimenta as pombas, tira uma lesma ou caracol da rua para que não seja esmagado, sabe o que pode ou não fazer. Desde o momento que não sabem educar um filho, quanto mais um cão, se não tem condições para o ter que não tenham!!! Agora os culpados aqui são o dono e os pais mais ninguém….olhem bem para o olhar daquele ser atrás das grades e tenham piedade!!
Anúncios