A Crise na Europa e a Passividade do Povos

 

 
Français : La crise des subprimes et ses mécan...

 
 
 
 
 
 
 
 
Français : La crise des subprimes et ses mécanisme de manière schématique (Photo credit: Wikipedia)
 
 
 
 
 
 
 
 

Ficámos a jeito dos grandes especuladores financeiros e das suas exigências quanto às taxas de juros pelo crédito que nos faz depender deles porque, em grande parte, a Europa, ou antes, as grandes empresas apoiadas pelos governos dos Estados que são delas os cabeças-de-turco desmontaram muitos dois meios produtivos e deslocalizaram-nos sobretudo para a Ásia. Isso, em busca de mão-de-obra à mercê da sobre-exploração do seu trabalho. Esta mundialização capitalista levou à acumulação de capital tão imensa como nunca se vira na História e, além de fazer enriquecer e aumentar o poder das grandes multinacionais sobre os governos e sobre os destinos dos Estados-nações, tornou-se a fonte de absorção do capital financeiro, que foge ao controlo estatal e é gerido por agências de especulação bolsista, de investimento e de crédito que, assim, atacam as nações economicamente desinvestidas e que passaram a viver de produção de bens não-transacionáveis, de serviços e do consumo.

A economia é uma ironia tal que transforma a consciência das vítimas em vítimas da ilusão de serem os culpados pela crise. A ideologia burguesa é omnipotente e omnipenetrante como a ideia de Deus porque lhe bastar tornar-se tal na medida em que é a representação da forma aparente como os factos se impõem às pessoas e aos povos.
Anúncios